Pages

Deputados mexicanos rechaçam reforma elétrica

Do IELA, 18 de Abril de 2022
Por Elaine Tavares: La Jornada



O governo de López Obrador não conseguiu os 332 votos necessários para aprovar uma reforma no setor elétrico do México. A intenção era anular a lei votada em 2013, proposta pelo então presidente Enrique Peña Nieto, que deu mais benefícios para as empresas privadas e estrangeiras no manejo deste setor estratégico para a nação. A proposta da reforma era mudar a chave, renacionalizar, favorecer as empresas estatais de geração de energia para que elas possam ser autossuficientes e diminuir a dependência ante os projetos privados e estrangeiros.

A votação foi uma maratona de protestos e discursos e acabou em 275 votos a favor, 223 contra e 0 abstenções. O governo conseguiu a maioria simples, mas era necessário a maioria qualificada. Sendo assim, segue valendo a lei de 2013. O presidente López Obrador lamentou o que chamou de “traição à pátria” dos deputados de oposição e pontuou que logo terá uma resposta para o tema.

Hoje chega ao Congresso nova proposta do governo, desta vez com referência à mineração, na qual também existe a preocupação com o poder das empresas estrangeiras. O governo quer garantir a propriedade nacional do lítio, evitando entregar para mãos privadas. A considerar o resultado desta madrugada, vai ser difícil para a situação passar essa proposta. A maioria da oposição formada pelos deputados do PAN, PRI, PRD e MC seguirá defendendo o setor privado.

****

Foto e informações: La Jornada

Nenhum comentário:

Postar um comentário