Pages

Muitas mortes em um dia, suspendam as patentes para vacinar o mundo!

Do IHU, 07 Janeiro 2022
Por Presenza, 05-01-2022. A tradução é de Luisa Rabolini.



Diante dos dados que crescem vertiginosamente, até mesmo as prorrogações podem não ser suficientes para vencer o jogo contra o Coronavirus e suas infinitas variantes: “Suspendam as patentes das vacinas e façam isso rapidamente, para produzir vacinas em quantidades adequadas e vacinar o mundo”, esta é a mensagem de Vittorio Agnoletto, colocado pela revista “Sanità Informazione” entre os 10 profissionais da ciência que em 2021 tiveram um impacto na luta contra a pandemia.

“259 mortes ontem na Itália, nunca tantas em um dia desde abril de 2021, com todos os índices em uma escalada vertiginosa, um boletim impiedoso que ricocheteia de todas as formas nos meios de comunicação e nas redes sociais: é um dado que atinge como um chicote e deveria soar como um alarme estrondoso, mas evidentemente ainda não é suficiente para convencer os nossos governantes e a UE a tomar imediatamente partido, sem hesitações, pela suspensão das patentes de vacinas. Repetimos isso à custa de nos tornar incômodos: é a única forma de produzir vacinas em quantidades adequadas para vacinar o mundo ‘pobre’, onde as pessoas vacinadas não chegam a 2/3% !", declarou Vittorio Agnoletto, médico e coordenador da Campanha europeia Right2cure No profit on Pandemic, colocado pela revista Sanità Informazione entre os 10 profissionais da ciência que marcaram em nível mundial os 365 dias da luta contra a pandemia de 2021, especificamente com a Campanha Europeia pela Suspensão das Patentes das Vacinas.

Quase 300 milhões de casos no mundo e quase 5 milhões e meio de mortes confirmadas: o que ainda está se esperando para decidir a única coisa sensata e útil, ou seja, a suspensão das patentes, para reduzir o seu custo e fazer com que sejam produzidas em quantidades suficientes em todas as empresas do mundo dotadas com as tecnologias adequadas? Já ficou claro, sem dúvida, que o coronavírus, que circula livremente entre bilhões de seres humanos não vacinados, continuará produzindo variantes, cada vez mais complicadas de acompanhar e tratar.

"A sucessão de números em crescimento exponencial - acrescentou Vittorio Agnoletto - deveria impelir ‘os poderosos da terra’ a convocar com urgência o Conselho Geral da OMC também na modalidade online, para a tomada dessa decisão, que deve ser deliberada por unanimidade, conforme previsto no próprio ato constitutivo da Organização Mundial do Comércio - OMC, que prevê a possibilidade de suspensão temporária das regras sobre as patentes previstas pelos acordos TRIPs de 1994 em caso de graves emergências globais. Qualquer outro atraso por parte da UE, que permaneceu praticamente isolada em nível mundial na defesa dos interesses da Big Pharma, é uma grave responsabilidade. Mas nós não desistimos e continuamos, mais fortes do que nunca, a nossa batalha também através da coleta de assinaturas no site".

E se não bastassem os mortos e os infectados, há também os números dramáticos do imenso prejuízo econômico que cada variante produz, como demonstraram os estudos de economistas como o prof. Tito Boeri e Antonio Spilimbergo do Fundo Monetário Internacional: fala-se de 4,5 trilhões de dólares em nível mundial e 1.000 bilhões de dólares para os países ricos: uma catástrofe! Para vacinar o mundo bastariam 50/100 bilhões de dólares, isso sendo exagerados: esperar mais seria uma responsabilidade culpada e inaceitável.

Nenhum comentário:

Postar um comentário