Pages

Pela primeira vez na história, mulheres vencem todas as categorias do Prêmio Maria Moors Cabot de Jornalismo

Do Brasil 247, 21 de julho de 2021


Renomado prêmio da Universidade de jornalismo de Columbia, nos Estados Unidos, destaca neste ano o trabalho de cinco jornalistas mulheres, sendo duas brasileiras, pela primeira vez desde sua primeira edição, em 1938


Jornalistas Eliane Brum, Adela Navarro Bello, Adriana Zehbrauskas e Mary Beth Sheridan (Foto: Divulgação)

247 - Pela primeira vez desde a sua primeira edição, em 1938, todas as categorias do Prêmio Maria Moors Cabot deste ano serão entregues a jornalistas mulheres. Das quatro profissionais reconhecidas pelo renomado prêmio da Universidade de jornalismo de Columbia, nos Estados Unidos, duas são brasileiras.

As vencedoras de 2021 foram Eliane Brum, na categoria jornalista freelance brasileira; Adela Navarro Bello, diretora-geral da revista mexicana ZETA; Adriana Zehbrauskas, fotojornalista brasileira radicada nos Estados Unidos; e Mary Beth Sheridan, correspondente no México e na América Central do The Washington Post.

Os prêmios Cabot “homenageiam jornalistas e organizações de notícias pela excelência de carreira e cobertura do Hemisfério Ocidental que promove o entendimento interamericano”, conforme a definição dos próprios organizadores.

Nesta edição, houve ainda uma citação especial dedicada a mais uma mulher: a repórter mexicana Regina Martínez Pérez, morta em 2012, e ao The Cartel Project, uma colaboração com uma equipe multinacional de repórteres.

Outra citação especial foi dedicada ainda para a equipe do site hondurenho Contracorriente, “por sua reportagem inestimável e intrépida em um momento de grande crise” para o país.

Em 2018, o jornalista brasileiro Fernando Rodrigues e, em 2020, a repórter Patrícia Campos Mello, da Folha de S.Paulo, venceram o Maria Moors Cabot.

As vencedoras de 2021 recebem medalhas de ouro e um honorário de US$ 5.000. A celebração será em 12 de outubro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário