Pages

“Na Amazônia, o COVID-19 se junta às históricas ‘epidemias’ de abandono, isolamento e fome”

"Nesse cenário de desolação e futuro incerto diante da atual pandemia e seu agravamento progressivo, e acima de todas as conseqüências inegáveis que o contexto que o mundo está vivendo terá para os mais pobres, os palestrantes manifestaram profunda preocupação com os danos sobre os povos e o aumento previsível da pressão sobre os recursos naturais sob a proteção da crise econômica, que se abriu com expressões diferentes, como derramamentos de petróleo nas áreas dos rios Corrientes e Marañón ou no Equador, o sério aumento do desmatamento como consequência do agronegócio e da mineração. Por outro lado, sérias crises sociais de migração e negligência estão surgindo no horizonte", escreve Jaime Palacio, integrante da Rede de Entidades para o Desenvolvimento Solidário - REDES, e membro do Enlázate por la Justicia, por ocasião da realização do colóquio digital A Amazônia diante do COVID-19.


Do IHU, 08/05/2020

A tradução é de Luis Miguel Modino.

Eis a nota.


Em seu esforço para construir pontes entre as duas florestas, e no âmbito do aniversário da encíclica Laudato Sí', a iniciativa eclesial "Enlázate por la Justicia" organizou em 7 de maio o colóquio digital "A Amazônia diante do COVID-19". Conforme apresentado pela representante da aliança, Rebeca Collado, a convocação faz parte da campanha "Se você cuida do planeta, luta contra a pobreza" que Caritas, CEDIS, CONFER, Justiça e Paz, Manos Unidas e REDES vêm promovendo desde a publicação da Laudato Sí'. Participaram do evento Dom Joaquím Pertiñez, Bispo de Rio Branco (Brasil), Rita Ruck, diretora do Escritório de Direitos Humanos do Vicariato de Iquitos (Peru), e Luis Miguel Modino (Brasil), missionário, jornalista especialista na Amazônia, e membro da equipe de comunicação da Rede Eclesial Pan-Amazônica (REPAM), e queria trazer à mesa o impacto da pandemia na Amazônia e seu povo e as conseqüências futuras já previstas.


(Foto: Luis Miguel Modino)


COVID-19: mais uma ferida na pele da Amazônia...

Com 31.783 casos confirmados e 1.952 mortes até 6 de maio, de acordo com a contagem feita diariamente pela Rede Eclesial Panamenha (REPAM) com base em dados oficiais de cada país, Modino ilustra o panorama do impacto da pandemia na Panamazônia, que ele considera claramente abaixo da realidade de contagiados e mortes. Infelizmente, os três oradores concordam na avaliação de que a gravidade da pandemia não é tanto em números, em si mesma, como na precariedade dos serviços de saúde que pioram quando vamos às periferias urbanas ou entram nas áreas rurais. Dom Joaquím Pertíñez denuncia como essa situação precária é agravada pela falta de serviços básicos, como água ou esgoto, clima e, sobretudo, indolência de um governo brasileiro que não tem consciência do impacto da pandemia e, principalmente, dos mais pobres. No caso de Iquitos, diz Rita Ruck, o vírus é mais um fardo para as pessoas mais humildes, o que aumenta as que já existem, como a leptospirose.


Os povos indígenas, mais uma vez, ameaçaram e abandonaram …

A história de abandono e esquecimento que marca os cinco séculos de colonização da Amazônia está se repetindo com as mesmas ameaças aos povos originários nesta pandemia. Além do risco representado pelo próprio vírus, possíveis problemas são adicionados por um sistema imunológico não acostumado a certas infecções, o que leva os povos a se adentrarem profundamente na selva como um dia já fizeram com a chegada dos conquistadores. Especialmente relevante, segundo Modino, é a ameaça aos povos isolados, cujo isolamento voluntário é quebrado pelas incursões de representantes políticos, de saúde ou religiosos de igrejas evangélicas.

Da mesma forma que no Brasil, testemunhos da área Achuar do Vicariato de Yurimaguas (Peru), da região de Guayaramerin, na fronteira da Bolívia com o Brasil ou do estado do Maranhão no Brasil, foram recebidos na ocasião da reunião, todos concordando que a pandemia agrava a condição de isolamento, esquecimento e negligência dos povos indígenas pelos diferentes estados. A ameaça nos territórios dos interesses da mineração, do desmatamento e do agronegócio, que nesses tempos de isolamento estão agindo com total liberdade, redobrando o risco que representam, como lembrou o missionário comboniano Dario Bossi.

Nas próprias palavras de um ancião líder do povo Achuar em um dos testemunhos da reunião, "agora temos o COVID-19, mas há uma doença que há anos mata muitas crianças e muitos idosos e o Ministério da Saúde não entra".


Um futuro de esperança em meio a ameaças

Nesse cenário de desolação e futuro incerto diante da atual pandemia e seu agravamento progressivo, e acima de todas as conseqüências inegáveis que o contexto que o mundo está vivendo terá para os mais pobres, os palestrantes manifestaram profunda preocupação com os danos sobre os povos e o aumento previsível da pressão sobre os recursos naturais sob a proteção da crise econômica, que se abriu com expressões diferentes, como derramamentos de petróleo nas áreas dos rios Corrientes e Marañón ou no Equador, o sério aumento do desmatamento como conseqüência do agronegócio e da mineração. Por outro lado, sérias crises sociais de migração e negligência estão surgindo no horizonte.

No entanto, da mesma maneira que o Papa Francisco inicia Laudato Sí' pedindo "tomar consciência dolorosa", o encontro terminou com sinais cheios de convicção e esperança, como o milagre da multiplicação de solidariedade que foi dado em Iquitos para o financiamento de uma planta de produção de oxigênio, que a partir da iniciativa popular canalizada pelo Vicariato alcançou em três dias a meta de arrecadar 1,8 milhão de soles.

Modino concluiu enfatizando a importância do esforço conjunto para tecer as redes e com o sinal que a REPAM supõe que “nos uniu a caminhar ao lado dos povos que sofrem“. Diante da divisão que é promovida pelas grandes potências econômicas e políticas, em palavras do cardeal Barreto.

Por fim, Dom Joaquín expressou o desejo de “sonhar esses sonhos com o Papa: cultural, ecológico, social e eclesial. Viver como se "tudo está interconectado" e nos colocarmos como Igreja a serviço de tudo isso, com os desafios que isso representa... "

Em resumo, um estilo de presença como Igreja nos dois lados do oceano que coloca a escuta dos povos como ponto de partida para qualquer passo dado... Uma das lições aprendidas com o processo do Sínodo Amazônico, desde seu documento preparatório até seu documento final e o exortação "Querida Amazônia" e também uma das lições que essa pandemia deve deixar "nas duas selvas".

Jaime Palacio
Rede de Entidades para o Desenvolvimento Solidário – REDES
Membro do Enlázate por la Justicia



Leia mais
“A REPAM exige mais atenção dos governos em relação ao coronavírus na Pan-Amazônia”, afirma o Cardeal Hummes
Como ancestrais indígenas se preveniam de epidemias
Órgãos governamentais não sabem como atender os indígenas na pandemia, diz liderança Kokama
Indígenas de Tefé pedem socorro e denunciam falta de equipamentos de segurança para servidores da saúde
Garimpeiros, grileiros e madeireiros não fazem quarentena e avançam sobre a floresta e povos indígenas. Entrevista especial com Dom Roque Paloschi
Professor Tikuna, que morreu por suspeita de Covid-19, é enterrado em vala coletiva em Manaus
COVID-19: 65 bispos de 6 regionais da CNBB pedem atenção especial à região Amazônica
“Será um genocídio anunciado se essa pandemia chegar nas aldeias”. Entrevista com o Procurador da República Fernando Merloto Soave
Para escapar do coronavírus, Yanomami se refugiam no interior da floresta
Covid-19 chega a São Gabriel da Cachoeira, no Alto Rio Negro
Cada invasor em terra indígena pode gerar 1,6 mil casos da covid-19, diz pesquisador
Indígenas aprovam proibição de entrada de integrantes da Missão Novas Tribos no Vale do Javari
Demarcação já! Sangue Indígena, Nenhuma Gota a Mais!!
Mobilização Nacional Indígena exige medidas urgentes em defesa da saúde e da vida dos povos originários do Brasil
A dupla ameaça para os povos da Amazônia
Coronavírus: Indígenas estão sendo infectados dentro das Casas de Apoio à Saúde Indígena (CASAI) no Amazonas e Roraima
Maior encontro dos povos indígenas do Brasil será on-line
Nota pública denuncia o abandono aos indígenas que moram em Manaus diante da COVID-19
Mais de 200 terras indígenas na Amazônia têm alto risco para Covid-19
Acampamento Terra Livre on line: novos modos de luta pelos direitos sempre negados
Vulnerabilidade social é motor da pandemia de Covid-19 em Terras Indígenas, mostra estudo
Para evitar danos aos indígenas, Justiça condena União, Funai e Estado do RS a entregar cestas básicas e insumos sanitários
O impacto cultural da pandemia de coronavírus sobre povos indígenas
COVID-19 na Amazônia: os números aumentam e a falta de atenção também
Organizações acusam governo federal de ser 'anti-indígena'. Cimi afirma que a terra Karipuna está em 'situação de iminente genocídio'
Contaminação e Guerra de Extermínio contra os Povos Indígenas - pestes, armas biológicas e o COVID-19
Bloqueios de indígenas para garantir isolamento já atingem 12 estados e 23 etnias
Coronavírus: “Um ancião indígena que morre é uma perda para toda a humanidade”, diz Márcio Meira
Coronavírus: enterros de indígenas sem rituais requer diálogo entre lideranças e o Ministério da Saúde, dizem especialistas
“Se coronavírus entrar nas aldeias indígenas ocorrerá genocídio em massa”, diz líder indígena Dinamam Tuxá
Em Manaus, mais dois indígenas morrem após contrair coronavírus
Primeiro indígena aldeado a morrer por covid-19 é de área próxima a garimpo ilegal
Indígenas de cidades com Covid-19 não ficarão sem assistência, mas responsabilidade é do SUS, diz Sesai
Em meio à pandemia da covid-19, governo anuncia remoção de quilombolas no Maranhão
Quilombolas divulgam nota contra plano do governo de remover comunidades em meio à pandemia
Covid-19: MPF recomenda ações emergenciais de proteção à saúde dos povos indígenas
Coronavírus coloca povo Guarani Kaiowá em alerta na reserva mais populosa do País
Covid-19 ameaça povos indígenas da Amazônia
Sesai confirma primeiro caso de coronavírus em indígena brasileiro
Os Povos indígenas da Amazônia exigem “proteção para as comunidades” contra a Covid-19
Coronavírus: MPF-AM pede providências urgentes para o Alto Rio Negro
Cidade mais indígena do Brasil, São Gabriel da Cachoeira se isola contra o Covid-19
Coronavírus pode dizimar povos indigenas, diz pesquisadora
Povos de Altamira organizam campanha para se proteger contra a Covid-19
Comunicado do Cimi acerca da pandemia do coronavírus (Covid-19)
Dois povos indígenas decidem se refugiar na mata para se proteger do coronavírus no Maranhão
Médico sanitarista diz que doenças respiratórias, como coronavírus, são vilões do genocídio indígena
Povos do Parque Nacional do Xingu decidem ficar em quarentena como prevenção ao coronavírus

Nenhum comentário:

Postar um comentário