Pages

COICA e REPAM apelam aos Estados da Pan-Amazônia para ações urgentes e efetivas em favor dos povos indígenas

O avanço do COVID-19 entre os povos indígenas da Pan-Amazônia é uma realidade cada vez mais preocupante. Todos os dias há mais pessoas infectadas e falecidas entre os povos indígenas, informações que na maioria dos casos só são divulgadas pelas organizações indígenas, uma vez que os números fornecidos pelos governos dos diferentes países são claramente subnotificados, sendo ignorados, na maioria dos casos, os povos indígenas.

Do IHU, 18/05/2020

A nota é de Luis Miguel Modino.

Nesta sexta-feira, 15 de maio, a Coordenação das Organizações Indígenas da Bacia Amazônica - COICA e a Rede Eclesial Pan-Amazônica - REPAM, apresentaram um documento em construção chamado Boletim: Impacto do Covid-19 sobre os Povos Indígenas da Pan-Amazônia. O documento, que será atualizado periodicamente, segue o mesmo esquema que a REPAM está usando para fazer o relatório que coleta diariamente o número oficial de casos e óbitos do COVID-19 na Pan-Amazônia, que nesta quinta-feira já atingiu 58.102 casos confirmados e 3.554 mortes, números que aumentam bastante nos últimos dias, a ponto de dobrarem em 10 dias.



(Fonte: COICA e Repam)

O material divulgado mostra que, até o momento, o número de infectados entre os povos originários é de 526, com 113 mortes, sendo aproximadamente 33 os povos afetados. Esses números mostram a alta letalidade que a pandemia está tendo entre os indígenas, com 21,48%, consequência das baixas defesas imunológicas desses povos, algo que já teve sérias conseqüências em outros momentos da história, o que é aumentado pela falta de um sistema de saúde adequado. Entre os povos indígenas, a situação mais preocupante é no Brasil, com 249 casos e 70 mortes, e na Bolívia, com 25 casos e 7 falecidos, já que a taxa de mortalidade de casos, em ambos os casos, é de 28%. No caso da Colômbia, o número de mortos é 26, com 17% de mortes entre os afetados.




(Fonte: COICA e Repam)

A pandemia se une, como declarado na carta conjunta de lançamento da COICA e a REPAM, à "pressão permanente do modelo extrativista em seus territórios e à exclusão histórica dos direitos a serviços básicos e infraestrutura de saúde, transformando os povos indígenas da Amazônia em um setor extremamente frágil e vulnerável”. As consequências, se os diferentes governos, não apenas locais, mas globalmente, não se conscientizarem, podem ser catastróficas para os povos, os ecossistemas e nossa casa comum.

Nessa situação, tornou-se urgente que os Estados possam agir efetivamente, algo que se pretende com o instrumento lançado, desejando que seja uma ajuda aos povos, à Igreja, às organizações indígenas e a todas as pessoas comprometidas com essas causas, na tentativa de "promover compromissos sérios e profundos" e, ao mesmo tempo, responder à crise, que está aumentando a cada dia.

Podemos dizer que este é um novo instrumento que ajuda a continuar avançando no processo sinodal, que nas circunstâncias atuais se torna mais importante, pois chegou a hora de construir alianças comuns diante das crescentes ameaças que pairam sobre a Pan-Amazônia, ignorando a sabedoria dos povos originários e seu cuidado especial com tudo o que é criado, como a carta de lançamento nos lembra bem, inspirada em Querida Amazônia.


(Fonte: COICA e Repam)

Eis a carta.

Carta de lançamento do boletim: Impacto do COVID-19 nos Povos Indígenas da Bacia Amazônica

Hoje, uma força enorme está atingindo a Amazônia de três vias que se combinam de maneira trágica: a pandemia de Covid-19, a pressão permanente do modelo extrativista em seus territórios e a exclusão histórica dos direitos a serviços básicos e infraestrutura de saúde, tornando os povos indígenas da Amazônia um setor extremamente frágil e vulnerável.

Diante disso, e como resposta urgente à complicada realidade da Amazônia, no âmbito dos princípios de cooperação e colaboração, após anos de proximidade como aliados na defesa da vida, a Coordenação de Organizações Indígenas da Bacia Amazônica - COICA e a Rede Eclesial Pan-Amazônica - REPAM, apresentam um documento em construção chamado Boletim: Impacto da Covid-19 nos Povos Indígenas da Panamazônia, a fim de tornar periodicamente visível a situação particular dos povos e comunidades indígenas da Amazônia em face da pandemia de COVID-19.

Além de um chamado aos Estados, para uma ação urgente e eficaz, esperamos que este instrumento ajude os próprios povos, a Igreja, as organizações aliadas e todas as pessoas comprometidas com essa causa, para uma posição, a fim de promover compromissos sérios e profundos, e responder concretamente a essa crescente crise.

"A sabedoria dos povos nativos da Amazônia inspira o cuidado e respeito à criação, com uma clara consciência de seus limites, proibindo seus abusos. Abusar da natureza significa abusar de antepassados, irmãos e irmãs, da criação e do Criador, hipotecando o futuro" (Querida Amazônia do Papa Francisco, nº 42).

Quito - Equador, 15 de maio de 2020.

José Gregorio Díaz Mirabal, Coordenador Geral da COICA

Mauricio López O., Secretário Executivo da REPAM


Leia mais
Amazônia: assolada pela Covid 19 e o descaso do Estado Brasileiro
Com 77 mortes, povos de 34 etnias indígenas já foram atingidos pelo coronavírus no Brasil
Amazonas. São Gabriel precisa de atenção diferenciada para casos de Covid-19, diz infectologista da UFAM
Amazônia: o vírus entre os indígenas. A esperança para o futuro está na água
OAB vê crime contra a humanidade no combate à Covid-19 no Amazonas
Indígenas mortos por Covid-19 chegam a 55, segundo Apib. Número cresce 45% em dois dias
Como ancestrais indígenas se preveniam de epidemias
Órgãos governamentais não sabem como atender os indígenas na pandemia, diz liderança Kokama
Indígenas de Tefé pedem socorro e denunciam falta de equipamentos de segurança para servidores da saúde
Garimpeiros, grileiros e madeireiros não fazem quarentena e avançam sobre a floresta e povos indígenas. Entrevista especial com Dom Roque Paloschi
Professor Tikuna, que morreu por suspeita de Covid-19, é enterrado em vala coletiva em Manaus
COVID-19: 65 bispos de 6 regionais da CNBB pedem atenção especial à região Amazônica
“Será um genocídio anunciado se essa pandemia chegar nas aldeias”. Entrevista com o Procurador da República Fernando Merloto Soave
Para escapar do coronavírus, Yanomami se refugiam no interior da floresta
Covid-19 chega a São Gabriel da Cachoeira, no Alto Rio Negro
Cada invasor em terra indígena pode gerar 1,6 mil casos da covid-19, diz pesquisador
Indígenas aprovam proibição de entrada de integrantes da Missão Novas Tribos no Vale do Javari
Mobilização Nacional Indígena exige medidas urgentes em defesa da saúde e da vida dos povos originários do Brasil
A dupla ameaça para os povos da Amazônia
Coronavírus: Indígenas estão sendo infectados dentro das Casas de Apoio à Saúde Indígena (CASAI) no Amazonas e Roraima
Nota pública denuncia o abandono aos indígenas que moram em Manaus diante da COVID-19
Mais de 200 terras indígenas na Amazônia têm alto risco para Covid-19
Vulnerabilidade social é motor da pandemia de Covid-19 em Terras Indígenas, mostra estudo
Para evitar danos aos indígenas, Justiça condena União, Funai e Estado do RS a entregar cestas básicas e insumos sanitários
O impacto cultural da pandemia de coronavírus sobre povos indígenas
COVID-19 na Amazônia: os números aumentam e a falta de atenção também
Organizações acusam governo federal de ser 'anti-indígena'. Cimi afirma que a terra Karipuna está em 'situação de iminente genocídio'
Contaminação e Guerra de Extermínio contra os Povos Indígenas - pestes, armas biológicas e o COVID-19
Bloqueios de indígenas para garantir isolamento já atingem 12 estados e 23 etnias
Coronavírus: “Um ancião indígena que morre é uma perda para toda a humanidade”, diz Márcio Meira
Coronavírus: enterros de indígenas sem rituais requer diálogo entre lideranças e o Ministério da Saúde, dizem especialistas
“Se coronavírus entrar nas aldeias indígenas ocorrerá genocídio em massa”, diz líder indígena Dinamam Tuxá
Em Manaus, mais dois indígenas morrem após contrair coronavírus
Primeiro indígena aldeado a morrer por covid-19 é de área próxima a garimpo ilegal
Indígenas de cidades com Covid-19 não ficarão sem assistência, mas responsabilidade é do SUS, diz Sesai
Em meio à pandemia da covid-19, governo anuncia remoção de quilombolas no Maranhão
Quilombolas divulgam nota contra plano do governo de remover comunidades em meio à pandemia
Covid-19: MPF recomenda ações emergenciais de proteção à saúde dos povos indígenas
Coronavírus coloca povo Guarani Kaiowá em alerta na reserva mais populosa do País
Covid-19 ameaça povos indígenas da Amazônia
Sesai confirma primeiro caso de coronavírus em indígena brasileiro
Os Povos indígenas da Amazônia exigem “proteção para as comunidades” contra a Covid-19
Coronavírus: MPF-AM pede providências urgentes para o Alto Rio Negro
Cidade mais indígena do Brasil, São Gabriel da Cachoeira se isola contra o Covid-19
Coronavírus pode dizimar povos indigenas, diz pesquisadora
Povos de Altamira organizam campanha para se proteger contra a Covid-19
Comunicado do Cimi acerca da pandemia do coronavírus (Covid-19)
Dois povos indígenas decidem se refugiar na mata para se proteger do coronavírus no Maranhão
Médico sanitarista diz que doenças respiratórias, como coronavírus, são vilões do genocídio indígena
Povos do Parque Nacional do Xingu decidem ficar em quarentena como prevenção ao coronavírus

Nenhum comentário:

Postar um comentário