Pages

Sem controle do coronavírus, Trump investe na guerra

Com milhares de estadunidenses vivendo o drama da infecção do coronavírus, sem possibilidade de tratamento por falta de seguro-saúde, o presidente do país decide investir milhares de dólares numa operação de ameaça à Venezuela, enviando vários navios de guerra para o mar do Caribe e Pacífico Ocidental, helicópteros e equipes especiais. Os motivos aventados por Trump dizem respeito ao que ele chama de combate ao narcotráfico, mas na verdade é uma operação de guerra, com a qual pretende intimidar o presidente da Venezuela.


Do IELA, 03/04/2020
por Elaine Tavares

Na semana passada o Departamento de Defesa estadunidense acusou Maduro e outros membros de seu governo de estarem vinculados ao narcotráfico e isso abriu as portas para que o "xerife" do mundo, os EUA, iniciassem mais uma campanha mundial para desqualificar e criminalizar o governo da Venezuela.

Agora, o envio das embarcações para ações no mar em frente à Venezuela é um indício seguro de que os Estados Unidos querem criar um fato para escapar de prestar contas acerca de sua incapacidade de conter o coronavírus no país.

As diversas tentativas para desestabilizar e derrubar o governo, desde Chávez, foram todas derrotadas e até agora, seja o golpe contra Chávez em 2002, as tentativas de impedir Maduro de assumir o governo ou. a guerra econômica que dura desde 2015. A última tem sido essa: acusar Maduro de narcotraficante. A movimentação no mar do norte da América do Sul segue esse roteiro. Primeiro, intimidar e se der, invadir e sequestrar Maduro, como já fizeram outras vezes em outros países.

Como a Venezuela tem sido uma pedra no sapato para o governo estadunidense desde 1998, uma guerra agora ajudaria Trump a atravessar a crise aprofundada pelo coronavírus. Os Estados Unidos repetem os mesmos golpes ano após ano. Há quem acredite nas mentiras fabricadas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário