Pages

Governo estuda liberar exportação de madeira in natura da Amazônia

Intenção foi confirmada por Ricardo Salles em audiência na Câmara.

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, confirmou que o governo federal estuda liberar a exportação de madeira in natura (sem nenhum tipo de beneficiamento) de árvores nativas da Amazônia. Esse tipo de atividade, hoje, é ilegal. A autorização foi solicitada ao ministério pelo setor madeireiro, que enxerga na mudança da legislação ambiental uma forma de incrementar as exportações.
Do IHU, 30/11/2019

A reportagem é de Alex Rodrigues, publicada por Agência Brasil, 27-11-2019.

Salles reconheceu disse que o assunto está sendo analisado tecnicamente. “Há uma série de considerações feitas de parte a parte. De um lado, há os que entendem que isso poderia eventualmente estimular o mercado de desmatamento. Por outro lado, verificamos que [na construção da Usina Hidrelétrica de] em Belo Monte, cerca de 500 hectares [de vegetação] foram suprimidos sem nenhum aproveitamento da madeira, que continua sendo suprimida, por exemplo, na abertura de rodovias e em áreas privadas devido ao impedimento de aproveitá-las”, disse.

O ministro disse que a autorização para exportação in natura pode ser uma alternativa viável para casos específicos. “A decisão será tomada de forma equilibrada, em um momento adequado”, garantiu o ministro, ao participar, hoje (27), de uma audiência pública na Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara dos Deputados.
Óleo

Salles disse ainda que o ministério colaborará com a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que será instalada na Câmara dos Deputados para investigar o derramamento de óleo que atingiu aos nove estados do Nordeste, além do Espírito Santo e de um trecho do litoral do Rio de Janeiro. E afirmou não ver problemas na decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), que, na semana passada, autorizou a quebra de seu sigilo bancário.

“Isso faz parte. Inclusive as informações já disponibilizadas foram prestadas por mim mesmo e, portanto, não há problema nenhum”, afirmou o ministro.
Leia mais
ONGs repudiam plano de exportação ‘in natura’ de madeira da Amazônia e ameaçam judicialização
O “maior desmatador do Brasil” possui 120 madeireiras na região Norte
Corte de madeira na Amazônia em três meses já é o maior desde 2016
Fiscais do Ibama só poderão multar compra de madeira ilegal se houver ‘indício’ de que infrator sabia da origem indevida
Mesmo após ‘Dia do Fogo’, madeireiros seguem destruindo Amazônia e ameaçando assentados
Madeira na Amazônia, uma fonte de lucro e destruição
Relatório do Imazon aponta que 60% das áreas madeireiras exploradas no Pará são ilegais
Ao desautorizar ação contra madeira ilegal, Bolsonaro premia crime ambiental na Amazônia
Extração ilegal de madeira abre a porta para outros crimes. Entrevista especial com Rômulo Batista
Governo Bolsonaro não tem plano contra desmatamento, apesar de taxa recorde em 10 anos
35% do desmatamento na Amazônia é grilagem, mostra análise realizada pelo IPAM
Os novos números de desmatamento confirmam o “efeito Bolsonaro”, apesar das negações
“Surto de desmatamento na Amazônia se explica pela chegada do governo Bolsonaro”, diz cientista do INPA
Apesar da negação do presidente Bolsonaro. Os números do desmatamento são reais
“Bolsonaro quer entregar a Amazônia à destruição”. Entrevista com Marina Silva
Alta no desmate coroa desmonte ambiental de Bolsonaro e Salles
Brasil não cumprirá metas de crescimento sustentável, diz ex-diretor do Inpe
Desmatamento subiu 50% em 2019, indicam alertas do Inpe
Ação de Bolsonaro e indústria de cana-de-açúcar ameaçam a Amazônia, Pantanal e o Clima Global
Em ano de alta do desmatamento na Amazônia, Meio Ambiente perde quase 20% dos técnicos
Desmatamento da Amazônia tem 3ª maior alta percentual da história
Imazon: Desmatamento da Amazônia em setembro foi 80% maior do que no mesmo período de 2018
Imazon: Desmatamento na Amazônia aumentou 20% entre agosto de 2018 e abril de 2019
Redes criminosas e impunidade impulsionam desmatamento na Amazônia, diz HRW

Nenhum comentário:

Postar um comentário