Pages

Mato Grosso do Sul decreta estado de emergência por queimadas no Pantanal

No período de pouco mais de um mês, um milhão de hectares foram devastados pelo fogo

Por Marcos Hermanson
Do Brasil de Fato | São Paulo (SP),12 de Setembro de 2019 


Cicatriz de queimada na cidade de Corumbá (MS) / Instituto de Pesquisas Espaciais (INPE)

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB), do Mato Grosso do Sul, decretou estado de emergência por conta das queimadas no estado, que em 40 dias consumiram mais de um milhão de hectares. A maior parte das áreas afetadas pertence ao bioma do Pantanal.

A região enfrenta 45 dias de estiagem e registrou 1.579 focos de incêndios apenas no mês de setembro, maior número desde 2008. Segundo o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), o fogo consumiu - entre 1º de agosto e 9 de setembro - 1.027.041 hectares no estado.

Ao mesmo tempo, dados do Instituto de Pesquisas Espaciais (INPE) mostram que Corumbá (MS) foi a cidade mais atingida por focos de incêndio no país em setembro, com 634 pontos registros.

Na terça-feira (10), o estado vizinho Mato Grosso já havia decretado emergência. Com a medida, são esperados recursos materiais e humanos do Ministério da Integração Regional e do Exército.

Segundo o governo do Mato Grosso do Sul, 250 bombeiros atuam nas áreas onde as queimadas são mais críticas: a terra indígena Kadwéu, as aldeias Limão Verde e Taunay/Ipegue e a região do Refúgio Ecológico Caiman. Brigadistas treinados nas aldeias e áreas de preservação também atuam no combate aos focos de incêndio.

Há previsão de chuvas somente para o dia 22.

Edição: João Paulo Soares

Nenhum comentário:

Postar um comentário