Pages

Pais de alunos de escolas privadas apoiam paralisação e ato de quarta-feira na Paulista

Do NOCAUTE 13 DE MAIO DE 2019


Pais de alunos e professores dos Colégios Equipe, Waldorf Micael, São Domingos e Ítaca de SP decidiram se unir às manifestações na próxima quarta-feira (15) contra os cortes de verbas na Educação anunciados pelo governo Bolsonaro.

“Os cortes arbitrários de verbas da educação (das escolas da rede básica, universidades e das bolsas de pesquisa) e as ameaças a disciplinas como filosofia, artes e ciências sociais, apontam para um retrocesso com danos irreparáveis para a trajetória de construção de um projeto educacional fundamentado em valores democráticos”, diz um trecho da carta do colégio Equipe.
Corpo docente do Colégio Micael:

“Guiados pelas palavras de Rudolf Steiner, quase um ano após os eventos que culminaram na paralisação de nossas atividades no dia 29 de maio de 2018, em prol da união solidária a mais de 100 escolas que defendiam tão somente a manutenção de direitos consagrados na Convenção Coletiva de Trabalho, infelizmente deparamo-nos com situação ainda pior que aquela em que nos encontrávamos.
O cenário negativo que à época se avizinhava despontar no horizonte hoje caminha a passos largos para sua efetiva materialização. Assim como havíamos aventado aquele tempo, a educação brasileira atualmente passa por processo de sucateamento e tem sofrido constantes ameaças e ataques por meio da precarização e mercantilização das condições de trabalho docente, não somente na retirada dos direitos e garantias resguardados pela já citada Convenção Coletiva, os quais já há muito estão consolidados como parte inerente da cultura escolar e daquilo que dela decorre, mas também no desprezo às conquistas históricas da categoria dos professores e professoras. Todavia, se antes havia condições mínimas de diálogo acerca da manutenção ou mudança de algum desses direitos, agora, como raras vezes visto até então, os mesmos sequer estão sendo considerados como parte integrante de uma possível pauta de negociação. 

A diretoria do Sindicato Patronal (SIEEESP) se retirou das negociações junto à Federação dos Professores (FEPESP), inviabilizando qualquer possibilidade de acordo sobre os itens que compõem a Convenção Coletiva deste ano. A despeito das inúmeras tentativas de diálogo dos representantes dos professores, todas tratativas se mostraram inócuas, fazendo com que hoje o processo se encontre nas mãos da justiça e, até o momento em que ocorra a declaração do veredito, os professores ficarão integralmente sem o resguardo jurídico da Convenção.


Somado a isso, fato notório divulgado à exaustão pelos mais variados meios midiáticos, verifica-se em curso um cenário de desmantelamento geral da Educação brasileira em uma esfera mais ampla, desde os ciclos básicos até o Ensino superior, incluindo pesquisas e programas de pós-graduação, de norte a sul do país. O problema acima afeta estudantes e todos aqueles que atuam na Educação, deteriorando condições de trabalho e, evidentemente, de vida.

Portanto, vimos a necessidade em reafirmar que “a Pedagogia Waldorf é construída em pilares associativos, em que pais, mantenedora e professores buscam juntos a construção de uma educação mais consciente, possibilitando o desenvolvimento de seres humanos autônomos e livres, imbuídos do firme propósito de participar ativamente das questões contemporâneas de nossa sociedade”.

Dessa forma, diante dos fatos mencionados e da premente conjuntura, os professores do Colégio Waldorf Micael de SP decidiram se unir aos esforços da categoria em busca do diálogo para assegurar os direitos consagrados na Convenção Coletiva, bem como se posicionar diante da necessidade de lutar pelo engajamento de uma pedagogia digna, inclusiva, solidária, consciente e cidadã, que vise um projeto de autonomia na formação do ser humano por meio do caminho da educação brasileira.

Sendo assim, comunicamos nossa adesão à paralisação pela Educação marcada para semana que vem. Na próxima quarta-feira, dia 15 de maio de 2019, não haverá atividades pedagógicas na escola, do maternal ao ensino médio. E estendemos o convite a toda nossa comunidade escolar a apoiar a categoria dos professores na luta por condições dignas de trabalho e pela defesa da educação de qualidade como um bem maior que possa chegar a todos. Pois cremos que esses assuntos representam o interesse de todos nós, sobretudo ao futuro de um legado para um mundo melhor. 

Por fim, convidamos todos também para um encontro no salão do ensino fundamental no dia 14 de maio, às 19h30, na reunião mensal do Conselho de Pais, destinado ao importante e esclarecedor diálogo sobre as questões que nos motivaram e que podem comprometer os rumos da educação de nossas crianças e jovens.”




Confira a íntegra dos comunicados dos colégios Equipe, São Domingos e Ítaca:

Carta do Colégio Equipe. Clique para ler.

Colégio São Domingos. Clique para ler.

Colégio Ítaca. Clique para ler.

Nenhum comentário:

Postar um comentário