Pages

Renda Básica no Quênia chega por celular



Por MÔNICA DALLARI
Da Carta Capital, 26 DE ABRIL DE 2019



No terceiro texto da série sobre o Quênia e a experiência com a Renda Básica, Mônica Dallari aprofunda na inclusão digital
Por Mônica Dallari, em série especial sobre o Quênia.

A distribuição de uma Renda Básica Universal e Incondicional a todos os adultos em 124 vilas rurais do Quênia, utilizando o telefone celular, está revolucionando o combate à extrema pobreza na África. Com um sistema simples, a experiência pioneira conduzida pela Give Directly, ONG financiada por empresários do Vale do Silício, transfere diretamente aos beneficiários U$ 22 mensais.

A M-Pesa, plataforma da Safaricom, afiliada da Vodafone, oferece acesso rápido e seguro a serviços financeiros pelo celular, como depósitos, transferências, pagamentos e retiradas em dinheiro, sem precisar ter conta bancária. O projeto inovador, com duração de 12 anos, além de romper a barreira da corrupção, melhorou a qualidade de vida das famílias beneficiadas.



Give Directly

A Give Directly foi fundada por ex-estudantes de Economia em Harvard e no Massachusetts Institute of Technology (MIT), interessados em encontrar maneiras mais eficazes de investir dinheiro para a redução da pobreza na África. Como estudiosos, Michael Faye, Paul Niehaus, Jeremy Shapiro e Rohit Wanchoo tinham evidências de que a transferência de renda direta incondicional era o melhor caminho.

O desafio era conseguir que o dinheiro chegasse às mãos de quem precisa, sem passar por intermediários, inúmeras vezes responsáveis por desvios e mau uso dos recursos. As transferências diretas pela Give Directly foram possíveis com o desenvolvimento da plataforma M-Pesa, que permitiu a operação utilizando-se o SMS do celular.

Dinheiro por SMS


O M-Pesa surgiu a partir de um concurso do Departamento de Desenvolvimento Internacional do Reino Unido, que procurava soluções para incluir no sistema financeiro pessoas sem conta bancária, especialmente em comunidades pobres. As vilas rurais no Quênia não têm bancos, os vencimentos são muito baixos. Enviar dinheiro para parentes distantes, só por conhecidos ou motoristas de ônibus.

Com o incentivo, em 2007 a Safaricom passou a desenvolver serviços financeiros facilmente usados em telefones moveis básicos. A única exigência do Banco Central do Quênia foi que todos os clientes com acesso ao sistema MPesa (M, de mobile, e pesa, dinheiro em suaíli, língua oficial do Quênia) se registrassem. Milhares de comerciantes de pequenos estabelecimentos em todo o país se tornaram agentes credenciados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário