Pages

As favelas voltaram à Itália

Em ensaio fotográfico, a realidade de imigrantes que reconstroem a vida no sul do país europeu, em barracos sobre a terra. Revela: sorrisos e solidariedade são constantes, em meio a vida improvisada


Gueto de Rignano Garganico, Sul da Itália. Foto de Riccardo De Luca




















Da página Outras Palavras, 07 de fevereiro, 2019
Por Antonio Martins






Um ensaio fotográfico publicado pelo Projeto Colabora expõe a realidade social dos imigrantes negros na Itália – algo pouco conhecido no Brasil. De autoria do fotógrafo Riccardo de Luca, as imagens foram feitas na região da Puglia (sul do país, junto ao mar Tirreno e de fronte para a costa da Albânia). Colhedores de tomate, vindos em maioria da África e sem documentos, espremem-se em “uma extensão enorme de barracas de plástico, papelão e madeira, construídas sobre a terra que, quando chove, vira lama”.



De Lucca não quer folclorizar a pobreza. Sensível, ele destaca também a solidariedade entre os imigrantes; o esforço coletivo empreendido para montar um simples barraco, “como se estivessem construindo a moradia em que viveriam pelo resto de suas vidas”; a grande presença de crianças, as improvisações e gambiarras, a alegria. O sorriso dos negros parece contrastar com a sisudez fria dos europeus e sua perda de imaginação social e política.

Nenhum comentário:

Postar um comentário