Pages

O DESPREZO A VIDA: NÃO HÁ SALVAÇÃO DA HUMANIDADE SOB A LÓGICA DO CAPITALISMO RENTISTA

Do Pátria Latina, 27 de Janeiro, 2019
Por Emiliano José*



Ou a esquerda de todo o mundo entende isso e sabe juntar suas lutas imediatas com a luta por uma sociedade para além do capital, ou o anjo de Benjamin será também arrastado tal a velocidade do tsunami a caminho.

Walter Benjamin foi um pensador originalíssimo. Marxista, rompia cânones. O progresso era o caminho para o Apocalipse. Civilização era sinônimo de barbárie. Há um texto em que ele se reporta ao quadro de Paul Klee, Angelus Novus, para falar disso. Sempre volto a esse escrito, por atual. O anjo está de costas para o futuro, os olhos esbugalhados mirando o acúmulo monumental de dejetos acumulados pela civilização, quem sabe os milhões de cadáveres causados pela desigualdade, asas abertas sem que possam se mover. O capitalismo é o caminho para o fim acelerado da humanidade – me desculpem o que parece pessimismo, e é: pessimismo da inteligência à Gramsci. Há alguma explicação, fora os contorcionismos, para as tragédias de Mariana e Brumadinho, senão a vigência de um modo de produção voltado exclusivamente ao lucro, que despreza solenemente a vida, que a ignora em todas as suas formas? E o pior é que tudo tende a se agravar se não houver uma reação vigorosa do povo ao governo que recém começou. A promessa é de tantas outras Marianas, tantos outros Brumadinhos, fim das águas, fim da Amazônia, fim das florestas, morte de nossa diversidade, humanidade e natureza, fim. Benjamin, o profeta, e não creio que ele se revoltaria fosse considerado um, tinha razão. Há um trem suicida em andamento – o capitalismo, a lógica implacável do lucro, a supremacia total do dinheiro na mão de pouquíssimos no Brasil e no mundo, o capital financeiro mandando em tudo, moldando as subjetividades, orientando-nos a acreditar que é bom que cada um cuide de si, mesmo que lama nos arraste, tsunami do que chama progresso. Há pressa. Resta que compreendamos: não há salvação da humanidade sob a lógica do capitalismo rentista. Ou a esquerda de todo o mundo entende isso e sabe juntar suas lutas imediatas com a luta por uma sociedade para além do capital, ou o anjo de Benjamin será também arrastado tal a velocidade do tsunami a caminho.

*Emiliano José é jornalista e escritor, autor de Lamarca: O Capitão da Guerrilha com Oldack de Miranda, Carlos Marighella: O Inimigo Número Um da Ditadura Militar, Waldir Pires – Biografia (v. I), entre outros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário