Pages

Datafolha: Bolsonaro lidera em cenário sem Lula, mas perde de todos concorrentes em segundo turno

Candidato de extrema-direita perde para Ciro Gomes (PDT), Alckmin (PSDB), Marina (Rede) e Fernando Haddad (PT) em possíveis encontros diretos. Rejeição cresceu



Da Redação RBA, 11 de Setembro, 2018


Comparando com o cenário da última pesquisa, realizada em agosto, Bolsonaro oscilou de 22% para 24%, um crescimento discreto

São Paulo – A mais recente pesquisa Datafolha, divulgada na noite de hoje (10), é a primeira após o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) rejeitar a candidatura do líder de todas as pesquisas, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Também foi a primeira após a facada contra o então segundo lugar, deputado Jair Bolsonaro (PSL). O parlamentar de extrema-direita lidera com 24% das intenções de voto.
Atrás de Bolsonaro, aparece o candidato do PDT, Ciro Gomes, com 13% das intenções de voto, seguido por Marina Silva (Rede), com 11%, Geraldo Alckmin (PSDB), 10%. Fernando Haddad (PT), com 9% – ainda não ratificado como substituto de Lula, o petista foi quem mais cresceu, pois tinha 4% na pesquisa de 20 de agosto. Ciro subiu três pontos, Marina caiu cinco e Alckmin ficou estável.

Álvaro Dias (Pode), João Amoedo (Novo) e Henrique Meirelles (MDB), estão com 3%. Guilherme Boulos (Psol), Vera (PSTU) e Cabo Daciolo (Patri), fecham o ranking dos candidatos que pontuam, com 1% cada. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Comparando com o cenário da última pesquisa, Bolsonaro oscilou de 22% para 24%, um crescimento discreto, mesmo após sofrer o atentado em Juiz de Fora (MG) na sexta-feira (7). Um possível teto de eleitores do parlamentar, defensor de ideias de ódio, é expresso pela alta rejeição. Bolsonaro é o candidato com maior reprovação dentro de todo o cenário. Dos entrevistados, 43% não votariam nunca no carioca (eram 39%).

A rejeição de Bolsonaro é mais forte entre mulheres (49%), entre os jovens (55%), entre aqueles que possuem ensino superior completo (48%) e os nordestinos (51%). Tal rejeição ampla é expressa nos cenários de segundo turno, em que Bolsonaro sai perdedor em todos os casos. Contra Marina, 43% a 37%; contra Ciro, 45% a 35%; contra Haddad, 39% a 38%; contra Alckmin, 43% a 34%.

Em outros cenários possíveis para o segundo turno, Ciro ganha de Alckmin de 39% a 35%; Marina ganha de Alckmin de 38% a 37%; Alckmin ganha de Haddad de 43% a 29%; Ciro ganha de Marina de 41% a 35%; Marina ganha de Haddad de 42% a 31%.

Nenhum comentário:

Postar um comentário