Pages

CHINA REALIZA COM ÊXITO SEMINÁRIO SOBRE RELAÇÕES COM AMÉRICA LATINA



Do 247, 11 de Setembro, 2018



Entre os dias 8 e 9 de setembro, teve lugar o segundo Seminário Internacional "China e América Latina: Diálogo Entre Civilizações" na cidade de Nanjing, província de Jiangsu, convocado pelo Gabinete de Assuntos Externos do governo de Jiangsu, pelo Instituto da América Latina, Academia Chinesa de Ciências Sociais, e pela editora Blossom Press do Grupo de Publicações Internacionais da China. A organização coube à Universidade de Economia e Finanças de Nanjing

247, com Diário do Povo - Entre os dias 8 e 9 de setembro, teve lugar o segundo Seminário Internacional "China e América Latina: Diálogo Entre Civilizações" na cidade de Nanjing, província de Jiangsu, convocado pelo Gabinete de Assuntos Externos do governo de Jiangsu, pelo Instituto da América Latina, Academia Chinesa de Ciências Sociais, e pela editora Blossom Press do Grupo de Publicações Internacionais da China. A organização coube à Universidade de Economia e Finanças de Nanjing.

O tema principal do evento foi "O Cinturão e Rota: Um canal para o diálogo entre as civilizações sino-latino-americanas". Mais de 100 quadros do governo, diplomatas, empresários, acadêmicos, jornalistas, bem como representantes de organismos de difusão de cultura provenientes de 13 países latino-americanos e da China participaram no seminário.

Em 2018 cumpre-se o 5º aniversário do anúncio da iniciativa do Cinturão e Rota. A América Latina, enquanto extensão natural da Rota Marítima da Seda do Século 21, é uma parte importante e imprescindível para a construção da iniciativa, cuja postura sobre esta última tem experimentado um processo ascendente que decorre da expectativa à atenção, de um interesse à comunicação e, por fim, à inserção.

Até o momento, a China assinou documentos de cooperação com nove países da América Latina e do Caribe para a construção conjunta da iniciativa do Cinturão e Rota. Esta iniciativa oferece, por um lado, uma nova plataforma para a colaboração econômica sino-latino-americana e, por outro, um novo caminho para o intercâmbio entre os povos e o diálogo entre as civilizações da China e da América Latina. Esta conferência abordou formas de promover a iniciativa para a converter no caminho do diálogo entre as civilizações sino-latino-americanas, com base na visão geral do acoplamento da iniciativa do Cinturão e Rota com a América Latina.

Guo Yuanqiang, vice-governador da província de Jiangsu, frisou no seu discurso de abertura que Jiangsu se encontra localizada na costa leste da China e é conhecida como "uma terra rica e abundante em peixe e arroz". Enquanto ponto de encontro da Faixa e da Rota, Jiangsu promove o desenvolvimento de alta qualidade da província na vanguarda do país, apresentando um elevado nível de abertura e várias das novas vantagens da economia aberta. No âmbito da iniciativa do Cinturão e Rota, trabalhamos com os países da América Latina para fortalecer a cooperação mútua, promover o comércio bilateral e o investimento, aprofundar os intercâmbios no campo das ciências humanas e contribuir para a abertura de uma nova era de relações entre a China e a América Latina.

José Luis Bernal Rodríguez, embaixador do México na China, elogiou as oportunidades e o desenvolvimento que a iniciativa do Cinturão e Rota trouxeram ao México. Bernal disse que os investimentos chineses no México entraram no setor alimentar, de máquinas e equipamentos eletrônicos, enquanto as empresas de alta tecnologia do México também começaram gradualmente a investir no país asiático. O comércio bilateral entre a China e o México desempenha um papel importante na promoção do ajuste e transformação da estrutura das indústrias mexicanas.

A cooperação entre os governos locais de ambos os países foi aprofundada. Bernal afirmou: "Atualmente o México já tem programas de colaboração com mais de 30 governos locais na China e diferentes tipos de diálogos multilaterais." Ao longo da história, o México tem sido um ponto-chave e de trânsito para a Rota Marítima da Seda no Oceano Pacífico, e Bernal assegurou que neste momento de "grande dinamismo" da parceria entre a América Latina e a China, o Cinturão e a Rota tem uma "relevância especial" e tem um "grande potencial" para o futuro.

O embaixador da Colômbia na China, Óscar Rueda, destacou que a China e a América Latina estão intimamente ligadas graças à Rota Marítima da Seda durante a história, e que a iniciativa mencionada abre caminhos para a América Latina alcançar uma equação perfeita, por meio de uma maior conectividade, cooperação, investimentos e fluxos turísticos. Entre as áreas de trabalho pendentes, ele citou a infraestrutura, na qual a América Latina apresenta o seu "maior déficit", agroindústria e conexão digital.

Na mesma ocasião, Patricia Rodríguez Holkemeyer, embaixadora da Costa Rica na China, e Stephen Seedansingh, embaixador de Trinidad e Tobago, também proferiram discursos.

A conferência ocorreu em torno de duas partes. Durante a primeira, foi realizada uma revisão integral e discutiu-se a divulgação e o acoplamento da iniciativa do Cinturão e Rota na América Latina. Na segunda parte, foi discutida a base de intercomunicação entre os povos do ponto de vista dos negócios, cultura e meios de comunicação.

Nesta conferência internacional foi apresentado o livro intitulado "O Cinturão e Rota e a América Latina: Novas Oportunidades e Novos Desafios" (edição em Chinês Mandarim), trabalho escrito por 13 especialistas de prestígio da China e da América Latina, organizado pela Comunidade de Estudos Chineses e Latino-Americanos (CECLA), publicado pela Editorial Blossom Press do Grupo de Publicações Internacionais da China e financiado pelo Escritório Nacional de Publicações da China.

Esta é a primeira monografia que analisa sistematicamente o tema do Cinturão e Rota e da América Latina. Em novembro de 2018, a edição em espanhol deste livro será apresentada na Universidade de Buenos Aires.

Nenhum comentário:

Postar um comentário