Pages

CHINA E ÁFRICA MANTÊM AMIZADE E REFORÇAM LAÇOS

Do 247, 9 de Agosto, 2018


No próximo mês, a Cúpula do Fórum de Cooperação China-África será realizada mais uma vez em Pequim após 12 anos. Na ocasião, os líderes da China e dos países africanos vão discutir novas estratégias e novas medidas para impulsionar a cooperação bilateral. A Rádio China Internacional apresenta um breve balanço da evolução recente das relações entre o gigante asiático e o continente africano

247, com Rádio China Internacional - No próximo mês, a Cúpula do Fórum de Cooperação China-África será realizada mais uma vez em Pequim após 12 anos. Na ocasião, os líderes da China e dos países africanos vão discutir novas estratégias e novas medidas para impulsionar a cooperação bilateral. A Rádio China Internacional apresenta um breve balanço da evolução recente das relações entre o gigante asiático e o continente africano.

No dia 22 de março deste ano, terceiro dia após o encerramento das sessões anuais da Assembleia Popular Nacional e da Conferência Consultiva Política do Povo Chinês, o presidente do país, Xi Jinping recebeu o presidente de Camarões, Paul Biya.

"Camarões é um país africano de amizade tradicional e um importante parceiro para a China. A China quer esforçar-se junto com Camarões para impulsionar as relações bilaterais a um patamar mais alto, a fim de levar mais benefícios para os dois povos", diz Xi Jinping no encontro

Mais tarde, os presidentes da Namíbia e Zimbábue também chegaram a Pequim. A visita sucessiva à China de chefes de Estado africanos adicionou elementos africanos à diplomacia chinesa em 2018, ano que marca o 5º aniversário do princípio proposto por Xi Jinping para com a África.

"Ao tratar com os amigos africanos, enfatizamos a sinceridade; ao desenvolver a cooperação com a África, enfatizamos os resultados concretos; ao fortalecer a amizade China-África, enfatizamos a fraternidade; e ao lidar com os problemas na cooperação, enfatizamos a honestidade", diz o presidente chinês.

Em março de 2013, ao visitar a África, o presidente Xi Jinping propôs pela primeira vez o conceito correto de justiça e interesses e os princípios de sinceridade, resultados concretos, fraternidade e honestidade para com a África, apontando uma direção ao desenvolvimento das relações bilaterais na nova era.

O presidente de Zimbábue, Emmerson Mnangagwa, estudou na China nos anos 1960 e visitou várias vezes o país asiático, testemunhando o percurso do desenvolvimento das relações sino-africanas. Ele disse: “Quando o Zimbábue estava em seu momento mais difícil, foi a China que ficou junto ao país e forneceu ajuda. Os dois países possuem uma amizade histórica e sólida. Por exemplo, durante o período em que o Zimbábue sofria sanções impostas pelo Ocidente, a China ofereceu assistência em muitos projetos de infraestrutura.”

Na realidade, são os planos concretos de cooperação que carregam as boas expectativas para as relações sino-africanas. Três anos atrás, ao participar da Cúpula do Fórum de Cooperação China-África em Johanesburgo, África do Sul, o presidente Xi Jinping comprometeu-se a implementar, junto com a parte africana, dez planos de cooperação para impulsionar a parceria estratégica. Esses planos obtiveram respostas positivas dos países africanos. O presidente de Benin, Thomas Boni Yayi, disse: “Sob o ambiente global da recessão econômica, a China ainda ajuda a África, considerando-a como amiga. Justamente por ter um parceiro como a China, a África tem mais confiança para enfrentar os desafios futuros”.

No início deste ano, o chanceler chinês, Wang Yi, visitou quatro países africanos com o objetivo de implementar ainda mais os dez planos de cooperação com os quais Xi Jinping se comprometeu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário