Pages

CAPES: CORTES DE TEMER FARÃO PÓS-GRADUAÇÃO PARAR EM UM ANO

Do 247, 2 de Agosto, 2018


O presidente da Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), Abílio Neves, enviou uma nota ao Ministério da Educação em que alerta que, caso a proposta orçamentária de Michel Temer permaneça, todas as bolsas de pós-graduação (mestrado, doutorado e pós-doutorado) deixarão de ser pagas aos estudantes a partir de agosto de 2019, incluindo bolsas de iniciação à docência e de cooperação internacional; entre outras consequências, o corte "poderá prejudicar a imagem do Brasil no exterior", alerta a Capes

247 - O presidente da Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), sociólogo Abílio Neves, enviou uma nota ao Ministério da Educação em que alerta que, caso a proposta orçamentária de Michel Temer permaneça, todas as bolsas de pós-graduação (mestrado, doutorado e pós-doutorado) deixarão de ser pagas aos estudantes a partir de agosto de 2019, incluindo bolsas de iniciação à docência e de cooperação internacional

Segundo ele, o teto de gastos repassado à Capes para 2019 "representa um corte significativo em relação ao próprio orçamento de 2018, fixando um patamar muito inferior ao estabelecido pela LDO". "Caso seja mantido esse teto, os impactos serão graves para os Programas de Fomento da Agência", definiu o presidente da Capes, na nota.

"Um corte orçamentário de tamanha magnitude certamente será uma grande perda para as relações diplomáticas brasileiras no campo da educação superior e poderá prejudicar a imagem do Brasil no exterior", diz ainda a nota técnica.

A nota provocou intensa repercussão nas redes sociais, liderando os assuntos mais comentados no Twitter. "Para que TODAS as bolsas de pós-graduação não sejam cortadas em agosto de 2019, a Capes precisa de R$ 300 milhões. Temer gastou R$ 881,3 milhões em emendas parlamentares pra convencer os deputados aprovarem a PEC do Teto de Gastos. Esse governo é uma tragédia para o país", reagiu a deputada estadual e candidata à presidência, Manuela D´Ávila.

"Presidente da CAPES alertou em nota que caso proposta orçamentária de Temer permaneça, TODAS as bolsas de pós-graduação deixarão de ser pagas a partir de agosto de 2019. Isso inclui bolsas de iniciação à docência e de cooperação internacional. É o desmonte da pesquisa brasileira!", postou a professora Lisete Arelaro, pré-candidata governo de São Paulo pelo PSOL.

"A proposta orçamentária do ministro da Educação repassou à CAPES um teto limitando seu orçamento para 2019 bem abaixo de 2018. Se isso for mantido, teremos a suspensão do pagamento de TODOS os bolsistas de mestrado, doutorado e pós-doutorado a partir de agosto de 2019! Socorro!", publicou Elika Takimoto, também professora e pré-candidata a deputada estadual pelo PT do Rio de Janeiro.

Leia aqui a íntegra da nota.

Nenhum comentário:

Postar um comentário