Pages

Riquezas da Agricultura Familiar da Caatinga e Cerrado

Você já experimentou a linguiça de bode? Tomou a cerveja do Umbu? Já saboreou a geleia do maracujá do mato? Esses e muitos outros produtos beneficiados a partir de matérias primas presentes nos Biomas Caatinga e Cerrado estão sendo expostos e comercializados na Vila da Agricultura Familiar e Economia Solidária durante a 27ª Feira Nacional da Agricultura Irrigada - Fenagri, que iniciou neste dia 11 de julho e segue até o dia 14, na área externa do Juá Garden Shopping, em Juazeiro – BA.


Do IHU, 13 de julho, 2018

A reportagem é publicada pelo portal da Articulação do Semiárido - ASA, 12-07-2017.

A Vila da Agricultura Familiar tem como objetivo fortalecer o novo modelo de produção baseado no trabalho sustentável e coletivo, promovendo o comércio justo e solidário através da comercialização de produtos da agricultura familiar. A Vila reunirá “empreendimentos que trabalham com a produção agroecológica, com artesanato e fortalecimento dos agricultores e agricultoras tanto no Bioma Caatinga como Bioma Cerrado...e esse ano a Vila ganha um maior destaque dentro na Fenagri”, pontua Gizeli Maria, colaboradora do Irpaa, uma das responsáveis pela organização do espaço.

A novidade dessa edição é a participação da Central do Cerrado, que reúne 35 organizações comunitárias de sete estados brasileiros (MA, TO, PA, MG,MS,MT e G0) e desenvolve atividades produtivas a partir do uso sustentável da biodiversidade desse bioma. A Central do Cerrado foi um dos espelhos para a formação da Central da Caatinga, que reúne cooperativas e grupos comunitários do bioma Caatinga com o objetivo de apoiar agricultores/as familiares na comercialização e valorização dos produtos locais, destaca Gizeli.

Nos empreendimentos serão comercializados alimentos in natura, produtos beneficiados, bebidas e artesanato. A cultura popular também estará presente através das apresentações do Samba de Véio do Rodeadouro, em Juazeiro, e grupo Galeota das Artes, de Curaçá. Outro destaque da Vila será o Espaço Gourmet, com alimentos e bebidas que poderão ser apreciados durante a visita, pratos oriundos da agricultura familiar, a exemplo do espetinho de carne de bode, escondidinho com carne de bode, cerveja de Umbu, Frozem de cachaça, entre outros.

A Vila da Agricultura Familiar e Economia Solidária funcionará a partir das 17h, encerrando às 22h, durante todos os dias da Fenagri 2018 e as/os visitantes terão 30 stands repletos de sabores, cheiros e cores, representando a vida que pulsa no Semiárido. A 27ª Fenagri, que também evidenciará o potencial da caprinovinocultura no Semiárido Baiano, tem como tema “Cultivando Sabores e Valores do Vale”, e é realizada pela Prefeitura Municipal de Juazeiro e da Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Juazeiro (ACIAJ), contando com a parceria do Sebrae, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Uneb, Univasf, IFBA, IF Sertão entre outras entidades, sendo o Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada - Irpaa uma das co-realizadora da Vila da Agricultura Familiar.

Leia mais
Atlas das Caatingas mostra problemas em 14 unidades de Conservação federais de proteção integral no bioma
Desertificação da Caatinga gera impactos socioeconômicos. Entrevista especial com Humberto Barbosa
Vulnerabilidade e biodiversidade: desafios à vida na Caatinga e Amazônia
Estudo aponta fragilidade da caatinga devido a desertificação
Desmatamento silencioso da Caatinga tem intensificado a desertificação do semiárido brasileiro. Entrevista especial com Iêdo Bezerra de Sá
Caatinga: o desafio de criar uma reserva privada
Travada no Congresso, PEC torna Caatinga e Cerrado patrimônio nacional
Caatinga, um bioma desconhecido e a "Convivência com o Semi Árido". Entrevista especial com Haroldo Schistek
Cerrado. O pai das águas do Brasil e a cumeeira da América do Sul. Revista IHU On-Line, N° 382
Biomas brasileiros e a teia da vida. Revista IHU On-Line, N° 500
Biólogo brasileiro reúne imagens de todas as cobras já identificadas no Cerrado
Agricultura no Cerrado ignora clima e viabilidade econômica
Em 15 anos, Cerrado perde 11% de cobertura vegetal nativa por causa do desmatamento. Entrevista especial com Tiago Reis
Entre 2000 e 2015, o desmatamento no Cerrado foi maior do que o da Amazônia
Milhares de pessoas protestam em Correntina (BA) em defesa das águas e do Cerrado
Carta do Encontro dos Povos e 1ª Romaria Nacional do Cerrado
Iniciativas autônomas recuperam nascentes de rios no cerrado; conheça alguns projetos
Partilhando vida e resistência no Cerrado

Nenhum comentário:

Postar um comentário