Pages

Prefeito de Mariana perde a paciência e mete o pé no traseiro da Vale/Samarco/BHP Billiton



Do Nocaute, 19 de junho de 2018



O prefeito de Mariana, Duarte Jr, declarou que perdeu a paciência esperando que a empresa Samarco Mineração, subsidiária da Vale e da Anglo-Australiana BHP Billiton, tome qualquer providência para retomar a atividade mineradora na cidade.

Segundo Duarte, a empresa responsável pelo maior crime ecológico da história do Brasil e um dos maiores do mundo deixou Mariana de mãos abanando, com milhares de desempregados e a economia arruinada.

A atitude desesperada e corajosa do prefeito é proporcional ao caos que a empresa produziu. Depois de esperar três anos pela retomada das atividades, prometida pela Samarco, Duarte Jr. parte para o enfrentamento pois, segundo ele, estão todos sendo feitos de bobos, pois não falta nada para que as jazidas de minério de ferro voltem a ser operadas pela empresa.

Mariana passa pela sua mais desastrosa fase econômica e social e o grupo liderado pela BHP-Billiton deixa na cidade uma terra arrasada. Duarte Jr. cansou de esperar.

Enquanto isso, segundo ele, a empresa que infelicitou a cidade investiu R$ 100 milhões no Maranhão, em atividade similar, e desafiou a gigante: “Se o grupo não quer trabalhar em Mariana, há quem queira. Se quer, que comece já. Se não quer, que pegue sua viola e vá cantar em outra freguesia. Mariana não pode esperar 
mais.”
Hélio de Almeida

A seguir, trechos das declarações de Duarte Jr.:

A Samarco não retornou ainda porque não existe interesse da Vale e BHP de retomar o trabalho com ela. Vale e BHP têm todas as licenças necessárias para começar a preparar a cava. Eles têm essa licença há sete meses e até hoje não começaram a preparar a cava, porque quando estiver com a cava preparada aí você chama o Estado e o Estado fala assim: ok, a cava atende e agora vou te dar a LOP, que é a licença de operação.

O que está acontecendo é que principalmente a Vale pegou São Luis do Maranhão e investiu lá mais de R$ 100 milhões, botou a usina de lá para rodar, atendeu todo seu mercado consumidor e não está preocupado com a responsibilidade social. O presidente da Vale, quando assumiu, disse que teria responsabilidade social com a região.

Quero saber onde está essa responsabilidade social porque investe um valor alto em São Luis e esquece de Mariana, de onde tirou riqueza por 44 anos, onde gerou desemprego, onde gerou uma tragédia, o maior derramamento de lama do mundo e nesse momento está com a licença debaixo do braço esperando cada dia mais a valorização da ação para ver quando vai querer ou não voltar com a empresa Samarco.

Isso é uma falta de respeito com a nossa população, não podemos admitir isso. Temos que unir nossas forças e tomarmos uma atitude.

A primeira providência será levar isso a público, para que todos saibam o que está aconetecendo. Tentar explicar da melhor maneira possível. A segunda será enviar um documento à bolsa de NY, à imprensa internacional para que a BHP seja cobrada por isso, vamos enviar um documento à Assembleia Legislativa de MG, ao Senado, à Câmara, e ao ministro de Minas e Energia, com quem vamos suscitar o artigo 65 do Código de Mineração, que diz que a Vale pode perder o direito de minerar.

E que se abra um procedimento administrativo para entender se a Vale tem ou não interesse de mineirar. Se tem, que comece a preparar a cava. Se não tiver, pega seu boné e vai procurar interesse onde tiver e permita que o mundo todo venha para cá. É uma das jazidas mais ricas da Samarco, o valor hoje que tem um prêmio pela pelota produzida, e está parado onde poderia estar dando possibilidade de emprego. A Samarco não tem o comprometimento social com a cidade que deveria ter.

Nenhum comentário:

Postar um comentário