Pages

O saxofone de Gaia Wilber nos palcos do Brasil

Do GGN, 29 de JUnho, 2018


Jornal GGN - A compositora e saxofonista Gaia Wilber acaba de lançar no Brasil seu primeiro álbum, “Migrations”. Dona de um estilo que mescla música brasileira e latino americana, com influência do jazz contemporâneo, a artista também participará de uma série de shows em homenagem aos 70 anos do multi-instrumentista Egberto Gismonti, que acontecerá em diversos estados brasileiros.

Em seu primeiro álbum, a brasileira radicada em Boston evidencia seu instrumento, o saxofone, além de dar espaço para solos de outros artistas. “Migrations” foi lançado no final de 2017 nos Estados Unidos pelo Selo Red Piano Records e agora chega ao Brasil pela Biscoito Fino.

Neste trabalho, Gaia (saxofone) é acompanhada por Yulia Musayelyan (flautas), Song Yi Jeon (voz), Gustavo D’Amico (saxofone), Leandro Pellegrino (guitarra), Vitor Gonçalves (piano e acordeom), Mayo Pamplona (baixo) e Richie Barshay (bateria).

Para compor, a artistas busca inspiração em Hermeto Pascoal, Guillermo Klein, Kenny Wheeler, Vijay Iyer e Maria Schneider. Em seu repertório estão as canções After Them (Gaia Wilmer), com solo de Yulia Musayelyan (flauta);Criançada (Gaia Wilmer), com
solos de Leandro Pellegrino (guitarra), Gustavo D’Amico (sax tenor) e Richie Barshay (bateria); Migrations (Gaia Wilmer) com solos de Yulia Musayelyan (flauta), Leandro Pellegrino (guitarra) e com o convidado especial Raphael Lehnen (bombo legüero); entre outras músicas.

Em sua temporada no Brasil, a saxofonista realizará um projeto em homenagem aos 70 anos de Egberto Gismonti. Serão 12 shows com big band para o Centro Cultural Banco do Brasil, entre julho e agosto, nas cidades de Brasília, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo.

A idealização, direção musical e arranjos deste projeto são assinados pela própria Gaia. Os espetáculos contarão com repertório do Egberto, junto a participação dele e de vários outros artistas como Jaques Morelenbaum, Mauro Senise, André Mehmari, Ricardo Herz, Gabriel Grossi e Yamandu Costa.


Nenhum comentário:

Postar um comentário