Pages

Belt and Road: Pesquisador adverte que programa de infra-estrutura da China é o ‘projeto ambientalmente mais arriscado na história da humanidade’

Do EcoDebate, 04 de Junho, 2018
James Cook University*




Um especialista global em infraestrutura diz que o plano da China de cruzar metade da Terra com projetos massivos de transporte e energia é ambientalmente o empreendimento mais arriscado já empreendido.

“A China tem enormes ambições”, disse o professor William Laurance, da Universidade James Cook, na Austrália. “Mas com isso vem enormes responsabilidades.”

Escrevendo na revista Nature Sustainability , o Professor Laurance se juntou a uma equipe internacional pedindo à China que empreendesse um rigoroso planejamento estratégico antes de embarcar em sua “Belt and Road Initiative”, que abrangerá pelo menos 64 países da Ásia, África, Europa e região do Pacífico.
Em meados do século, o Belt and Road poderia envolver 7.000 projetos de infraestrutura e investimentos de US $ 8 trilhões, disseram os pesquisadores.

Segundo a WWF, a iniciativa poderia impactar mais de 1.700 áreas críticas de biodiversidade e centenas de espécies ameaçadas.

“A China alega que o Belt and Road será um modelo para o desenvolvimento responsável, mas isso exigirá que ela mude fundamentalmente o modo como faz negócios internacionalmente”, disse o professor Laurance.

“Muitas empresas chinesas e financistas que operam no exterior são mal controlados pelo seu governo – em grande parte porque são muito lucrativos”, disse ele.

“Nas últimas duas décadas, tenho visto inúmeros exemplos de exploração agressiva e até mesmo predatória por empresas chinesas, especialmente em nações em desenvolvimento com fraco controle ambiental.”

Os autores disseram que a China tem uma oportunidade única de mudar seu modelo de desenvolvimento e se tornar um líder mundial em sustentabilidade.

“A China está fazendo um trabalho muito melhor de melhorar as salvaguardas ambientais dentro da China do que internacionalmente”, disse o professor Laurance. “A China tem uma oportunidade única, mas se for ‘business as usual’, então acho que os custos para o meio ambiente e os riscos econômicos para os investidores podem ser assustadores”.

Referência:

Fernando Ascensão, Lenore Fahrig, Anthony Clevenger, Richard Corlett, Jochen Jaeger, William F. Laurance, and Henrique Pereira (2018)
Environmental challenges for the Belt and Road Initiative.
Nature Sustainability, https://doi.org/10.1038/s41893-018-0059-3

* Tradução e edição de Henrique Cortez, EcoDebate
in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 04/06/2018

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Nenhum comentário:

Postar um comentário