Pages

Dirigente do Movimento Sem Terra é morto a tiros na frente do filho de 6 anos em propriedade rural na Bahia

Márcio Matos Oliveira tinha 33 anos. Segundo polícia, a hipótese de latrocínio está descartada, pois nada foi levado da casa da vítima.

Márcio Matos Oliveira tinha 33 anos
 (Foto: Reprodução/Facebook)
Por G1 BA, 25 de Janeiro, 2018 


Um dirigente do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), e integrante do Partido dos Trabalhadores (PT), foi morto a tiros na noite de quarta-feira (24) na propriedade rural em que ele morava, na cidade de Iramaia, sudoeste da Bahia. O governador do estado, Rui Costa (PT), disse nas redes sociais que determinou à Secretaria de Segurança Pública "a imediata e rigorosa apuração do crime".

De acordo com a Polícia Civil, Márcio Matos Oliveira, de 33 anos, foi assassinado na frente do filho de 6 anos. Não há detalhes sobre as circunstâncias do crime, nem sobre autoria e motivação.

A polícia investiga e já descartou a hipótese de latrocínio, porque nada foi levado da casa da vítima. Uma equipe da coordenadoria da Polícia Civil de Jequié acompanha as investigações.

O corpo foi levado para o Departamento de Polícia Técnica (DPT) de Jequié.

Por meio das redes sociais, o governador Rui Costa lamentou a morte de Márcio Matos.

“Lamento a morte de Márcio Oliveira Matos, mais conhecido como Marcio do MST. Conhecido pela firme luta em defesa da igualdade social, ele foi assassinado no município de Iramaia. Tão logo soube da triste notícia, determinei à Secretaria de Segurança Pública a imediata e rigorosa apuração do crime. Meus sentimentos de pesar aos amigos e familiares neste momento de profunda dor”, afirmou o governador.

A superintendência regional do Incra na Bahia também lamentou a morte do líder do MST. De acordo com o Incra, o fato aconteceu no assentamento Boa Sorte Una, situado no município de Iramaia, onde Matos era assentado.

Nesta quinta-feira, a Ouvidoria Agrária Regional do Incra/BA oficiou a Ouvidoria Agrária Nacional e a Coordenação do Grupo Especial de Mediação de Acompanhamento de Conflitos Agrários e Urbanos (Gemacau), setor que integra a Secretaria de Segurança Pública (SSP), solicitando informações sobre o crime, e relatando o ocorrido.

O Incra divulgou também que "solidariza-se com a família de Marcio Matos e aguarda o resultado das investigações e a devida responsabilização dos culpados".

Nenhum comentário:

Postar um comentário