Pages

A Venezuela expulsa o embaixador do Brasil

O diplomata Ruy Carlos Pereira foi declarado “persona non grata” por Delcy Rodríguez, presidente da Assembleia Constituinte do país vizinho.
Pereira em sabatina no Senado

Da Carta Capital, 23 de Dezembro, 2017 


Neste sábado 23, a Venezuela declarou “persona non grata”o embaixador do Brasil, Ruy Carlos Pereira, o que equivale à expulsão do país. O anúncio foi feito por Delcy Rodríguez, presidente da Assembleia Nacional Constituinte venezuelana. O diplomata se encontra no Brasil, onde passa o Natal e o Ano Novo. O Itamaraty, em nota, afirmou que Brasília aplicará as medidas de reciprocidade se a decisão for confirmada pelo governo venezuelano.

Rodríguez anunciou o ato em uma transmissão pela VTV, canal estatal: "No âmbito das competências da Assembleia Nacional Constituinte, em que está justamente a soberania, nas nossas bases de comissão, decidimos declarar 'persona non grata' o encarregado de negócios do Canadá, e declarar 'persona non grata' o embaixador do Brasil, até que se restitua o fio constitucional que o governo de fato vulnerou, no caso deste país-irmão".

Antes de declarar o embaixador brasileiro “persona non grata”, a presidente da Assembleia Constituinte discorria sobre a perda do liame democrático no Brasil. Citou dois exemplos: a cláusula de barreira aprovada pelo Congresso brasileiro que impede a participação eleitoral de partidos pequenos e o impeachment de Dilma Rousseff em 2016.


A presidente da Assembleia Constituinte também expulsou um diplomata canadense (Foto: Divulgação)

“Vimos algumas posições minoritárias no nível internacional. Essa é uma informação para este país, não para outros governos. O caso a que você se refere, especificamente, do Brasil, neste ano, depois do golpe de Estado que houve no Brasil, contra a presidente Dilma Rousseff, foi aprovada no Congresso a chamada cláusula de barreira, que impede justamente que partidos pequenos possam ter participação eleitoral”, respondeu a um dos entrevistadores da VTV.

Em nota, o Ministério das Relações Exteriores do Brasil disse que a decisão confirma o caráter “autoritário” da administração do vizinho. "O governo brasileiro”, afirma o texto, “tomou conhecimento de declaração de ex-chanceler venezuelana de que o governo desse país teria decidido declarar o embaixador do Brasil em Caracas “persona non grata”. Caso confirmada, essa decisão demonstra, uma vez mais, o caráter autoritário da administração Nicolás Maduro e sua falta de disposição para qualquer tipo de diálogo. O Brasil aplicará as medidas de reciprocidade correspondentes".

Na sexta-feira 22, o Brasil entregou a presidência do Mercosul ao Paraguai. Na cerimônia, exigiu da Venezuela, que está suspensa do bloco, o respeito aos direitos humanos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário