Pages

Tariq Ali: Marx + Engels + Lênin

No centenário da Revolução Russa, Tariq Ali reúne e introduz os dois mais explosivos textos políticos da modernidade.


Do Blog da Boitempo, 3 de Novembro, 2017
Por Tariq Ali 



No centenário da Revolução Russa, a Boitempo lança um explosivo livrinho reunindo dois dos textos políticos mais influentes da modernidade. Nesta edição, disponibilizada a um preço acessível (R$24), o pensador paquistanês Tariq Ali reúne e introduz o Manifesto Comunista, redigido por Marx e Engels em 1848, e as “Teses de Abril” e as “Cartas de Longe”, redigidas por Vladimir Lênin, às vésperas da Revolução Russa de outubro de 1917. Confira o vídeo (legendado!) que gravamos aqui na editora com o Tariq Ali:

A Revolução Russa de 1917 transformou o Manifesto Comunista no texto fundamental para socialistas em todo o mundo. No centenário do evento que marcou o século XX, esse volume coloca a obra mais famosa de Marx e Engels ao lado de outro texto clássico, Teses de abril, o manifesto revolucionário de Lênin que eleva a política a uma forma de arte. Essa edição comemorativa apresenta ainda textos introdutórios de Tariq Ali, contextualizando o período em que o Manifesto foi redigido – às vésperas das revoluções de 1848 – e traçando sua influência sobre as Teses de abril, texto que por sua vez daria novo fôlego ao Manifesto Comunista.

“Lênin compreendia Marx melhor do que a maioria dos dirigentes políticos de sua época. Em abril de 1917, entre as duas revoluções que transformaram a Rússia tsarista durante a primeira guerra imperialista, o bolchevique escreveu uma série de teses baseadas na teoria marxista, exortando seu partido a fazer os preparativos necessários para uma revolução social – teses estas que estão incluídas na parte final deste livro. Por outro lado, sem a Revolução Russa de novembro de 1917, o Manifesto Comunista – que abre o volume – acabaria confinado às bibliotecas especializadas em vez de rivalizar com a Bíblia como o texto mais traduzido na história moderna”, afirma Ali.



O Manifesto Comunista é o texto político mais influente já escrito – poucos chamados à ação foram capazes de tão efetivamente agitar e mudar o mundo. Agora, no despertar de um novo século, sob uma dura crise financeira e em um mundo construído sobre regimes de austeridade permanente, cada vez mais dominado por terríveis disparidades econômicas, ele permanece um ponto de referência para quem tenta compreender as transformações que são hoje forjadas pelo capitalismo e suas formas concomitantes de exploração.

É nas Teses de abril, escritas em 1917, que Lênin apresenta dez máximas analíticas de modo a traçar um programa para acelerar e completar a revolução que havia se iniciado em fevereiro daquele ano. Nessa edição, são incluídas também as Cartas de longe, escritas por Lênin no exílio e endereçadas a seus camaradas em Petrogrado. Nessas correspondências, Lênin dá conselhos e instruções aos que levariam adiante seus ideais no rescaldo da Revolução de Fevereiro.

***

Tariq Ali é o entrevistado da nova edição da Revista da Boitempo, a Margem Esquerda. O filósofo e cientista político paquistanês falou a Edemilson Paraná e Gustavo Capela sobre as heranças da União Soviética, a atual conjuntura global e os problemas da esquerda internacional hoje e a crise política que se agrava no Brasil, fazendo ainda um balanço de sua extensa obra e sua fascinante trajetória intelectual e de militante político.



Entre outros destaques, a edição conta com um dossiê de capa sobre “Lutas indígenas e socialismo” organizado pela pesquisadora Silvia Adoue, com artigos de Jean Tible, Laura Zúñiga (Honduras), Gabriel Moraes Ferreira de Oliveira e dela. A expansão das cadeias extrativistas e as lutas e movimentos indígenas que se organizam por toda a América Latina são temas pulsantes nessa edição de número #29, assim como a ascensão global da direita, a precarização e perda de direitos da classe trabalhadora, o desmatamento e a degradação do meio ambiente.

Em diálogo com o dossiê, a seção de artigos apresenta uma reflexão do historiador Luiz Bernardo Pericás sobre a questão agrária hoje, seguido pelo resumo da pesquisa em campo da antropóloga Marina Ghirotto Santos sobre o bem viver. Numa abordagem original, o militante do MST e psicanalista Marco Fernandes analisa o crescente sucesso das igrejas pentecostais nas periferias das metrópoles brasileiras em “Psicoterapia popular do Espírito Santo”, e o sociólogo Celso Frederico faz um alerta às armadilhas das políticas identitárias em “O universalismo e o culto às diferenças”. Fechando a seção, o economista Marcio Pochmann faz um balanço da crise instaurada no país com o governo ilegítimo de Michel Temer em “O sentido do Brasil que emerge das reformas em curso”.

Só até a semana que vem, quem fizer sua assinatura bi-anual da Margem Esquerda no site da Boitempo tem 15% de desconto na assinatura e ainda recebe um exemplar gratuito da Margem Esquerda #9 junto com seu exemplar do novo número. Saiba mais sobre a edição atual abaixo. (A modalidade bi-anual habilita o assinante a receber as próximas 3 edições semestrais da revista (#30, #31 e #32), além da edição atual.) Aproveite, a promoção vale só até o dia 10 de novembro!

Nenhum comentário:

Postar um comentário