Pages

Estudo detalha porquê criminosos climáticos como Exxon devem pagar pela destruição do furacão

'Devíamos nomear esses furacões de Exxon e Chevron, não Harvey e Irma'.












Da página Carta Maior, sábado, 09 de setembro, 2017
Por Jake Johnson, Common Dreams

Enquanto Texas e Louisiana lidam com a destruição trazida pelo furacão Harvey e enquanto o furacão Irma continua a destroçar as ilhas do Caribe em direção aos EUA, muitos se perguntam algo pertinente: quem deveria pagar pelos danos?

De acordo com um estudo publicado pelo jornal Mudança Climática na quinta, a resposta é clara: os gigantes do petróleo.

“Sabemos que os custos de ambos os furacões serão enormes e que a mudança climática fizeram deles muito maiores do que deveriam ser realmente”, escreve Peter Frumhoff e Myles Allen, co-autores do estudo, em um artigo no Guardian.

A pesquisa também mostra que companhias de petróleo contribuíram desproporcionalmente com o aumento do nível do mar e os níveis de dióxido de carbono na atmosfera enquanto enganam o público sobre os custos de suas práticas capitalistas.

“Surpreendentemente, quase 30% do aumento do nível do mar globalmente entre 1880 e 2010 resultaram de emissões dos 90 maiores produtores de carbono”, descobriu o estudo. “Mais de 6% do aumento do nível global do mar é resultado de emissões que levam à ExxonMobil, Chevron e BP, as três maiores contribuintes”.

O estudo também descobriu que “os 90 maiores produtores de carbono contribuíram aproximadamente com 57% do aumento observado de dióxido de carbono na atmosfera, quase 50% do aumento da temperatura média global”.

May Boeve, diretora executiva da 350.org, argumentou em uma declaração na quinta-feira que os achados do estudo demonstram que devido a essas contribuições à mudança climática, os maiores poluidores são parcialmente responsáveis pelos eventos climáticos extremos que causam pânico ao redor do mundo.

“Deveríamos chamar esses furacões de Exxon e Chevron, não Harvey e Irma”, escreveu Boeve.

Ainda assim, mesmo com seu papel na criação dessas condições que produziram tempestades tão severas e intensas quanto Harvey e Irma, grande companhias de petróleo se comprometeram muito pouco com os esforços de reconstrução e recuperação.

“Pode exigir dezenas de milhares de bilhões de dólares para apoiar a recuperação desses desastres nas comunidades da Costa do Golfo afetadas pelo furacão Harvey. A ExxonMobile, Chevron e BP sacrificaram coletivamente somente $2.75 milhões”, notaram Frumhoff e Allen.

Porque essas companhias nunca são responsabilizadas, no entanto, a população – em particular comunidades de baixa renda – é forçada a custear tudo. Henry Shue, companheiro de pesquisa sênior da Universidade de Oxford, argumentou que isso é inaceitável.


“Continuando com essas contribuições aos danos, os maiores produtores de carbono têm, por décadas, persistido com consciência na violação do mandamento fundamental: não farás mal”, escreveu Shue. “Chegou a hora dos maiores produtores de carbono de encarar a realidade dos produtos inseguros que persistem em comercializar e do mundo mais seguro que eles poderiam estar ajudando a criar. Se não, eles arriscam se tornar inimigos da humanidade”.

Boeve da 350.org concordou, concluindo: “A mudança climática não é somente uma crise, é um crime. Já está mais que na hora de responsabilizar os criminosos”.


Créditos da foto: common dreams

Nenhum comentário:

Postar um comentário