Pages

Resposta da Venezuela ao ato da Mercosul de suspender país do bloco

Do GGN, 8 de Agosto, 2017



Jornal GGN – Em resposta ao ato do bloco da Mercosul a que pertence, e que agora está suspensa, a Venezuela respondeu com vídeo, onde reafirma sua posição, a situação do país, a Assembleia Constituinte e a gana de interferência nos assuntos do país, contrariando seus direitos e transformando a Mercosul em órgão de perseguição.

Entenda o que aconteceu e, ao final, veja o vídeo-resposta da Venezuela aos atos.

Os chanceleres do bloco formado por Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai se reuniram e decidiram suspender a Venezuela do bloco por “ruptura da ordem democrática”. Os chanceleres se pautaram em cláusulas do Protocolo de Ushuaia, assinado em 1998. Eles exigem, para que a questão seja revista, a “libertação dos presos políticos, a restauração das competências do Poder Legislativo, a retomada do calendário eleitoral e anulação da convocação da Assembleia Constituinte”.


Aloysio Nunes Ferreira, em nome do Brasil, disse que a sanção se dá por não considerarem o governo eleito de Nicolás Maduro como democrático. Isto na parte da sanção política.

Na sanção de natureza jurídica, do final do ano passado, a suspensão se deu com base em acordos e tratados firmados quando da adesão ao Mercosul, baseado na Convenção de Viena.

Segundo Aloysio, muito se tentou dialogar com o governo maduro. Sem sucesso. No entanto, a medida não altera a entrada de venezuelanos no Brasil e nem os acordos comerciais bilaterais que o país tem com os membros do bloco.

A Assembleia Constituinte foi eleita e tomou posse na sexta-feira, dia 4. E a oposição não aceita, criando uma onda de manifestações contra o governo. A situação também não aceita a imposição, e devolve com outro número de protestos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário