Pages

O trabalho sem cidadania, por Boaventura Sousa Santos

Do GGN, 30 de Julho, 2017
Por Jota A. Botelho


Entrevista com o sociólogo português Boaventura de Sousa Santos sobre a crise do trabalho no mundo do capitalismo neoliberal onde sua relação perde toda a cidadania. Será o fim do Contrato Social firmado desde o século XVII

Segundo o prof. Boaventura o capitalismo neoliberal é um capitalismo global que mostra toda a sua vocação antissocial globalizante e, portanto, sobrepondo aos Estados Nacionais. Como a proteção social ainda hoje é ancorada nos Estados Nacionais, na medida que ele sobrepõe a estes Estados, ele irá fazer um ataque aos direitos sociais e econômicos, sobretudo aos direitos laborais.

E, por outro lado, ele vai promover um outro discurso - os dos direitos humanos - como sendo um discurso progressista, mas para quem está atento isso acarretará a substituição do discurso dos direitos da cidadania por este discurso, que embora válidos, mas não tem a mesma eficácia, a mesma densidade política, não tem os meios de coesão e aplicação que tem os direitos da cidadania, mudando assim completamente a lógica anterior com a hegemonia deste discurso, que provocará uma deteriorização dos direitos de cidadania. Obviamente, ainda segundo o prof. Boaventura, o objetivo desta forma de capitalismo neoliberal é transformar o trabalho num fator de produção e nada mais.

O trabalho será exatamente a nossa contribuição para a máquina produtiva. O trabalho não são pessoas, não são famílias, os trabalhadores não são entes que podem organizar-se politicamente. Enfim, o trabalho não dará mais acesso à cidadania, portanto não é mais trabalho com direitos. O trabalho deixará de ser uma identidade coletiva, de autoestima, porque foi destruído na sua identidade política e cultural. Veja abaixo o restante da entrevista com o prof. Boaventura de Sousa Santos.



Nenhum comentário:

Postar um comentário