Pages

Mundo chama Lula de herói dos trabalhadores que foi condenado por corrupção

Do GGN, 12 de Julho, 2017
Por Patricia Faermann



Jornal GGN - Menos de uma hora após o anúncio da condenação de Luiz Inácio Lula da Silva, pelo juiz Sérgio Moro, e os principais jornais do mundo já estampam nas manchetes os nove anos e seis meses de prisão do ex-presidente brasileiro. Alguns noticiários fizeram uma retrospectiva do líder, apresentando-o como o responsável pelo "milagre econômico" no Brasil e o "heroi dos trabalhadores". Outros trataram de somente reproduzir as agências de notícias internacionais.

No primeiro dos casos está o jornal mexicano El Universal: "Depois de ver sua afilhada política, Dilma Rousseff, sendo destituída pelo Senado, o patriarca da esquerda que presidiu o maior país da América Latina entre 2003-2010 recebeu outro golpe", narrou o periódico.




Já a versão espanhola da BBC noticiou as acusações de Moro como certeira: "especificamente, Lula foi condenado por aceitar $ 1,1 milhões em propinas da empresa construtora OAS, valor que foi investido na reforma e decorados com peças de luxo de um apartamento triplex no balneário de Guarujá, Estado de São Paulo".

O jornal que carrega editoriais por diversos países, inclusive no Brasil, e é responsável por disseminar notícias como agência destacou que, ainda que tenha direito a recursos e não for preso enquanto dure este processo, "de qualquer forma, se trata de uma sentença histórica: por primeira vez um ex-presidente do Brasil é condenado por corrupção".



O anti-kirchnerista Clarín, da Argentina, referiu-se ao magistrado de Curitiba Sérgio Moro como "célebre" e a Lava Jato como a "colossal trama corrupta encampada no seio da petroleira brasileira Petrobras". Também narrou o apartamento triplex no Guarujá como "casa de luxo" e disse que o processo que compromete o ex-presidente não se restringe ao apartamento, mas "tem várias causas".



No Chile, foi a emissora Tele13 uma das primeiras a noticiar a condenação de Lula como "um dos desdobramentos do caso Lava Jato". "Especificamente, Lula teria recebido 3,7 milhões de reais por parte da empresa OAS como resultado de contratos obtidos junto a empresa estatal brasileira Petrobras".

Lembrou que para o ex-presidente ser preso, a decisão deverá ser confirmada pelo Tribunal Regional Federal (segunda instância).



A internacional agência Reuters noticiou para seus milhares de jornais parceiros pelo mundo que o "ex-presidente brasileiro Lula foi considerado culpado de corrupção", com uma forte fotografia do líder petista desconsolado.

"O ex-líder brasileiro Luiz Inacio Lula da Silva, que saiu da pobreza na infância para se tornar presidente do país por dois mandatos, foi condenado por acusações de corrupção nesta quarta-feira, no primeiro de cinco inquéritos que ele enfrenta".

A agência ressaltou que Lula, operário que se tornou presidente, deixou o cargo há seis anos "com um índice de aprovação de 83 por cento". O líder da República "ganhou admiração global por suas políticas de transformação social que ajudaram a reduzir as ardentes desigualdades no maior país da América Latina". "O ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, chegou a rotulá-lo como o político mais popular do planeta", acrescentou.



O diário digital para a língua espanhola Infobae tomou como fonte a revista Veja para apresentar o juiz Sérgio Moro como o "líder na luta contra a corrupção no Brasil", que condenou o ex-presidente por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Seguindo a tese desenhada pelo magistrado de Curitiba e toda a força-tarefa do Paraná, o portal reproduziu que "a Justiça brasileira apontou que Lula atuou como 'chefe' do esquema de corrupção que respingou em seu governo e no de sua sucessora, Dilma Rousseff, durante mais de uma década".



O britânico The Guardian também ressaltou o histórico de Lula e acrescentou que a sentença é um ápice da "investigação de corrupção que abalou o Brasil por mais de três anos, revelando um esquema que se alastrou ao níveis mais altos do poder e de empresas, levando o sistema político à desordem".



E o The New York Times arredondou os 9 anos e 6 meses para "quase 10 anos de prisão", em um artigo que chama a condenação de Lula de um "impressionante revés para um político que exerceu enorme influência em toda a América Latina há décadas".

O jornal norte-americano ressaltou a conexão do caso atual com o impeachment contra e ex-presidente Dilma, como se as consequências contra ambos originassem do partido do qual fazem parte: "Atormentado por escândalos, o Partido dos Trabalhadores da esquerda do Sr. Silva perdeu a presidência no ano passado, quando o Senado acusou sua sucessora escolhida, Dilma Rousseff, em uma luta de poder que consumiu a nação", disse o NYT.

Nenhum comentário:

Postar um comentário