Pages

Querem privatizar a água, mas haverá resistência

Foi lançado o Fórum Alternativo Mundial da Água, em contraposição ao ‘Fórum das Corporações’
















Da página Combate Racismo Ambiental, quarta-feira, 07 de junho, 2017
Por Leonardo Fernandes/Da Página do MST




No Dia Mundial do Meio Ambiente, foi lançado em São Paulo, o Fórum Alternativo Mundial da Água (Fama), uma articulação que reúne entidades sindicais, movimentos populares, ambientalistas, além de universidades e igrejas.

A articulação busca fazer um contraponto ao Fórum Mundial da Água, qualificado por essas organizações como o ‘Fórum das Corporações’, no qual grandes multinacionais, que já dominam 75% do mercado mundial de água, se organizam para pressionar os poderes locais de vários países, no sentido de privatizar mananciais, empresas públicas de saneamento e abastecimento de água às populações.

A organização se reúne a cada três anos e, em 2018, o encontro será realizado em Brasília, entre os dias 17 e 19/03.

Seguindo uma tradição dos movimentos populares ao redor do mundo, os movimentos populares do Brasil organizam um Fórum Alternativo, com diversas ações de conscientização e defesa da água como um bem comum essencial para a manutenção e desenvolvimento da vida e, portanto, público.


“Nós, enquanto organizações sociais, pensamos a água como um bem público, e por isso criamos o Fama, que discutirá a água como um patrimônio e sob a perspectiva da soberania do povo”, destacou Neudicléia Oliveira, representante do Movimento de Atingidos por Barragens (MAB) na Coordenação Política do Fama.

No último dia de atividades, as organizações populares pretendem realizar uma grande marcha na Esplanada dos Ministérios.

Segundo Camila Melo, da ONG Prosciente, os movimentos que discutem a preservação do meio ambiente e dos recursos naturais receberam com preocupação a notícia de que o Fórum das Corporações seria realizado no Brasil, pela posição estratégica da região em matéria de recursos hídricos.

“Muita gente pensa que é coisa de ficção científica, mas o grande conflito mundial dos próximos anos, assim como hoje é o petróleo, será a água. O fato de que o Fórum Mundial venha para o Brasil tem várias nuances. Estamos falando da maior reserva hídrica do mundo, que está na América do Sul, com seus aquíferos. E esse é o recurso que está em disputa”, alertou.

Durante a atividade de lançamento, que ocorreu na livraria Tapera Taperá, no centro de São Paulo, foi lançado o site do Fama, onde é possível ler o manifesto de chamamento à atividade (clique aqui), e participar ativamente da construção do evento.

O Fórum Alternativo também será lançado no Distrito Federal na próxima sexta-feira (9), na Universidade de Brasília (UnB), às 14h, com a presença do relator especial da ONU para saneamento, Léo Heller.

*Editado por Rafael Soriano



Foto: Rafael Stédile

Nenhum comentário:

Postar um comentário